Mãe com muito orgulho

Mãe com muito orgulho

Em um dos episódios de Super Nanny, uma mãe, que não tinha nenhum controle sobre seus filhos falou, abertamente na TV: “Eu tenho vergonha de chamar alguém na minha casa, pois não sei o que meus filhos podem fazer”.

Imagino que essa seja a sensação da maioria das mães que perderam o controle sobre os seus filhos, mães que não conseguem mais impor limites ou que não conseguem mais mostrar para seus filhos o rumo que eles devem seguir.

Mas chegou a hora de mudar isso, ou, se não é o seu caso, chegou a hora de não permitir que isso aconteça. Para isso, vamos fazer algumas perguntas e buscar na Bíblia suas respostas.

Mãe, você sabe por onde o seu filho anda?

Mãe photoUm dos principais problemas dos dias atuais é a falta de tempo, temos que trabalhar e consequentemente deixar nossos filhos em casa, sozinhos ou com a empregada. E muitos pais se quer sabem onde eles estão.

Mas esse não é um mal apenas dos dias atuais, aconteceu o mesmo com a família de Jesus:

Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa;
E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
E, como o não encontrassem, voltaram
Lucas 2:41-45

A diferença é que, ao contrário dos nossos jovens, Jesus sabia quem era, onde estava, porque estava ali e principalmente, qual era seu destino aqui na terra. Não é o que acontece com nossos jovens, fadados ao erro e às más influências.

O que podemos fazer? Que tal dar algumas tarefas aos seus filhos? De vez em quando ligar para saber se está tudo bem. Ligar, ou ir com mais frequência na escola e saber como ele está, se está faltando muito (dizendo que vai à aula enquanto vai para outro lugar) ou como está o comportamento dele (lembre-se, escolas ensinam, pais educam).

O importante é: não criamos filhos para o mundo, ou melhor, não para ESSE mundo, ou seja, não deixe o mundo criar seu filho.

Mãe, você conhece o seu filho?

Um outro problema dos dias atuais é não saber quem são nossos filhos, com quem estamos lidando. Quantas mães são surpreendidas com atitudes dos seus filhos porque nunca conversaram com eles? Sim, mãe, você tem que conversar com seus filhos, aconselhá-los, ajudá-los a tomar decisões difíceis entre outras coisas, essa responsabilidade é sua.

Tomando novamente a família de Jesus como exemplo, Maria conhecia seu filho:

E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas. E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.
João 2:1-3

Maria sabia que naquele momento difícil o único que poderia dar alguma solução era Jesus. Ela sabia isso porque CONHECIA seu filho.

Mãe, se você não conhece seu filho, como saber o que ele pode ou não fazer? E não só isso. Você quer ser pega de surpresa quando sua filha disser que está grávida sem que você se quer saiba que ela namorava? Sem se quer ter podido aconselhá-la sobre os cuidados que ela deve ter? Não, não estou dizendo que você tem que dizer que está tudo bem que seus filhos perca a virgindade, biblicamente está errado, porém temos que aconselhá-los sempre. Quero lhes mostrar algo (tomei como exemplo a área sexual:

  • A idade média da primeira relação sexual é mais baixa entre os alunos do sexo masculino – variando de 13,9 a 14,5 anos – enquanto que entre as estudantes do sexo feminino, as idades médias da primeira relação sexual são 15,2 a 16 anos.
  • Em quase todas as capitais, mais de 10% das crianças e adolescentes – entre 10 e 14 anos – já tiveram uma relação sexual. Na faixa entre 10 e 14 anos, mais da metade dos jovens do sexo masculino já se iniciaram sexualmente. Tais proporções correspondem a duas ou três vezes àquelas das alunas que se iniciaram na mesma faixa etária
  • Apesar de 2/3 dos pais afirmarem que já falaram sobre sexo com seus filhos, nota-se que cerca de um terço, nas capitais pesquisadas, não dialogam sobre este tema. Em nove das 14 capitais estudadas não há diferenças significativas, quando se considera o sexo dos pais. Em quatro capitais, no entanto, as mães aparecem de forma mais destacada que os pais no plano de interação com os filhos, conversando sobre sexualidade. As conversas entre pais e filhos podem estar relacionadas a uma lógica de prevenção do risco de Aids e de uma gravidez.
  • A primeira conversa com os pais sobre sexualidade, segundo os alunos, tende a se dar quando esses estão com 11 anos. Não há diferenças significativas entre os sexos nas diferentes capitais estudadas.

Fonte: UNESCO. Pesquisa Nacional Violência, Aids e Drogas nas Escolas, 2001 (http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001339/133977por.pdf).

Vamos refletir um pouco, se 10% das crianças começam a ter relações sexuais aos 10 anos, falar sobre sexo quanto eles tem 11 anos já é um pouco tarde. Por último:

  • Uma pesquisa feita pelo psiquiatra Jairo Bauer com 7.520 jovens, com idades entre 13 e 17 anos, revela que apenas 30% dos entrevistados conversam sobre sexo em casa.

Então, mãe, converse com seus filhos.

Mãe, você impõe limite aos seus filhos?

A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.
Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma.
Provérbios 29:15;17

Palmadas não matam (por mais que a Xuxa diga o contrário). Castigo não mata. Repreensão não mata. Ao contrário, uma criança que faz o que quer, envergonha a sua mãe. Alguns exemplos disso são filhos viciados, adolescentes grávidas e até algo mais simples como crianças correndo pela igreja.

Fico imaginando o estigma vergonhoso (como diz a Bíblia) quando se refere a uma mãe como a “mãe do viciado da esquina”, ou “sabe aquela rapariga? Então essa é a maẽ dela”.

Então, como diz a Bíblia um dos deveres de uma mãe é corrigir os seus filhos. Deixá-los soltos e largados por aí, sem repreensão ou correção, apenas te trás o estigma de péssima mãe.

Mãe, você ensina o caminho de Deus para os seus filhos?

Por último, o mais importante de tudo isso, você ensina para o seu filho a palavra de Deus? Você lê a Bíblia pra ele?

Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.  Provérbios 22:6

Quero fazer uma pergunta, como mãe você tem fugido de sua responsabilidade de ensinar a palavra de Deus para seus filhos e largando essa responsabilidade nas mãos da igreja?

Em primeiro lugar, quero lembrar, a igreja não é a responsável por isso, nós somos, a igreja está aqui para te auxiliar nesse papel.

Em segundo lugar, você tem acompanhado o que seu filho tem aprendido na igreja? Ou mostrado para ele que não basta ouvir tem que colocar em prática o que ele tem ouvido?

Você tem que ter em mente que não está criando os filhos para si mesma, muito menos para o mundo (não se esqueça disso), você está criando o seu filho para Deus, para que ao crescer Ele seja templo do Espírito.

Um exemplo a ser seguido é o de Ana, que entregou o seu filho Samuel à casa de Deus (leia I Samuel 1:27-28.)

E no de Maria que permitiu que Jesus crescesse em graça e sabedoria (leia Lucas 2:52).

E para encerrar:

Cada um temerá a sua mãe e a seu pai, e guardará os meus sábados. Eu sou o SENHOR vosso Deus. Levítico 19:3

Temer não é ter medo é respeitar, então, se o seu filho não te respeita, está na hora de você rever os seus conceitos.

Quer mais dicas de como ajudar seu filho, deixe-nos um comentário.

Evangélico, blogueiro, trabalho com informática e sou casado com uma linda mulher.

Wagner Santos

Evangélico, blogueiro, trabalho com informática e sou casado com uma linda mulher.
Fechar Menu
Close Panel
%d blogueiros gostam disto: